Um novo estudo publicado pelo American Journal of Epidemiology reforça a conclusão de que a participação regular em atividades religiosas tem um efeito positivo sobre a vida das pessoas.

O estudo, feito nos Estados Unidos com cerca de 7.500 pessoas, pretendia medir se a adesão a um grupo religioso na adolescência tinha alguma consequência sobre indicadores como bem-estar psicológico, saúde mental e saúde física. 

A resposta é sim.

Diz o estudo, elaborado pelos pesquisadores Ying Chen e Tyler J VanderWeele:


Comparada com o não comparecimento, a frequência
pelo menos semanal a celebrações religiosas foi associada a uma maior satisfação com a vida e afeto positivo, um número de forças de caráter, menores probabilidades de uso de maconha e iniciação sexual precoce e menos parceiros sexuais ao longo da vida. Análises a respeito da oração ou meditação produziram resultados semelhantes.

O percentual de pessoas que já usaram maconha foi de 7% entre os que frequentam a igreja ao menos uma vez por semana, ante quase 22% dos que não frequentam. A diferença é ainda maior quando se leva em conta outras drogas: 2,4% no primeiro grupo, contra 8,9% no segundo.

O histórico de doenças sexualmente transmissíveis foi mais de dez vezes maior entre os que não frequentam a igreja.

O índice de depressão, por sua vez, foi 8% menor entre os religiosos.

Na comparação entre os dois grupos, os que frequentam a igreja pelo menos uma vez por semana também apresentaram melhores resultados nos critérios de autoestima (7% maior), satisfação com a vida (13% acima) e participação em atividades de voluntariado (28%).

O estudo reforça a conclusão de pesquisas semelhantes feitas anteriormente.

Do ponto de vista prático, é interessante observar que, em vez de gastar milhões de reais com programas mirabolantes para melhorar a qualidade de vida de pessoas ditas em “situação de vulnerabilidade”, o governo talvez devesse prestar mais atenção às instituições que dão sentido à vida humana: a família, a religião e a comunidade.

Veja o estudo completo aqui.